Sobre a SPDM

Originalmente denominada Escola Paulista de Medicina, a SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina – é uma das maiores entidades filantrópicas na área de saúde, atuante em vários estados do Brasil e contando com mais 40 mil colaboradores diretos.

Com a vocação de contribuir para a melhoria dos serviços médicos prestados à população, a SPDM é qualificada como organização social nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro e Santa Catarina, e em vários municípios.

Em 1933, atendendo à crescente demanda do Estado de São Paulo, um grupo de professores e alunos fundou a Escola Paulista Medicina, instituição que logo tornou-se referência no âmbito da educação, assistência e pesquisa na área da saúde. A seguir, este grupo de empreendedores, inaugurou o Hospital São Paulo, com objetivo de garantir a formação de seus alunos e, ao mesmo tempo, ampliar a assistência médica, sobretudo à população menos favorecida.

Em 1956, a Escola Paulista de Medicina foi federalizada, mas não o Hospital São Paulo, que permaneceu sob responsabilidade da Sociedade Civil Escola Paulista de Medicina – transformada Sociedade Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), em 1960.

São sócios da SPDM professores e membros eleitos da UNIFESP com atividade no campus São Paulo/Vila Clementino e, a cada quatro anos, a Assembleia Geral dos Associados elege, como determina seu Estatuto Social, seu Conselho Administrativo.

A SPDM tem-se destacado por outras atividades além da gestão do Hospital São Paulo. Tem-se, entre elas, a organização “Instituições Afiliadas” e o Programa de Atenção Integral à Saúde (PAIS).

As “Instituições Afiliadas” congregam mais de uma dezena de hospitais estratégicos, farmácias de alto custo e outros equipamentos de expressiva relevância para a saúde de municípios de grande importância.

O PAIS é responsável pela gestão, coordenação e operação da assistência à saúde em seus vários níveis, o que inclui mais de 140 unidades ambulatoriais e vários hospitais.

Tem-se ainda a destacar o Projeto Xingu, programa de atenção básica à saúde em territórios indígenas.

A SPDM mantém o espírito inovador e a preocupação com a educação em saúde que fazem parte de suas raízes. Para tanto, associa o melhor da tecnologia com atendimento médico de alta qualidade, respaldada por equipes multiprofissionais, formadas por médicos, enfermeiros, nutricionistas, fonoaudiólogos, bioquímicos, psicólogos, tecnólogos, assistentes sociais e dentistas, entre outros.

Além disso, a SPDM se dedica à informação e à atualização de seus associados e colaboradores, oferecendo cursos, palestras e eventos educativos sobre os mais diversos temas de interesse. Foi por acreditar na educação como pilar do desenvolvimento dos profissional de saúde, que a SPDM criou a “SPDM Educação em Saúde”.